O que é design thinking? Conheça essa metodologia e saiba como aplicá-la!

Por | Geral

As palavras “design thinking” não são tão comuns no vocabulário da maioria dos brasileiros. No entanto, esse termo da língua inglesa pode ser útil para que empresários e empreendedores inovem e deixem para trás a temida estagnação.

Veja também o que significa bitcoins e criptomoedas!

Portanto, hoje vamos falar sobre esse conceito que está cada vez mais difícil de ignorar, já que tem apresentado muitos resultados de sucesso. Confira:

O que é o design thinking?

O que é design thinking? Conheça essa metodologia e saiba como aplicá-la! - Foto: CeC
O que é design thinking? Conheça essa metodologia e saiba como aplicá-la! – Foto: CeC

O design thinking é tanto uma ideologia quanto um processo que busca resolver problemas complexos de uma forma centrada no usuário. Dessa forma, ele se concentra em alcançar resultados práticos e soluções que são:

  • Tecnicamente viáveis: podem ser desenvolvidos em produtos ou processos funcionais;
  • Economicamente viável: a empresa pode se dar ao luxo de implementá-los;
  • Desejável para o usuário: eles atendem a uma necessidade humana real.

A ideologia por trás do design thinking afirma que, para chegar a soluções inovadoras, é necessário adotar a mentalidade de um designer e abordar o problema a partir da perspectiva do usuário. Além disso, ao mesmo tempo, o design thinking tem a ver com a prática; o objetivo é transformar suas ideias em produtos ou processos tangíveis e testáveis ​​o mais rápido possível.

Por fim, esse processo descreve uma série de etapas que dão vida a essa ideologia – começando com a construção de empatia pelo usuário, até chegar a ideias e transformá-las em protótipos.

Quando surgiu o design thinking?

O que é design thinking? Conheça essa metodologia e saiba como aplicá-la! - Foto: EC
O que é design thinking? Conheça essa metodologia e saiba como aplicá-la! – Foto: EC

O design thinking surgiu originalmente como uma forma de ensinar engenheiros a abordar problemas de forma criativa, assim como os designers fazem. Dessa forma, uma das primeiras pessoas a escrever sobre o tema foi John E. Arnold, professor de engenharia mecânica da Universidade de Stanford. Em 1959, ele escreveu “Creative Engineering”  (Engenharia Criativa) no texto que estabeleceu as quatro áreas do design thinking. A partir daí, o design thinking começou a evoluir como uma “forma de pensar” nos campos da ciência e da engenharia de design – como pode ser visto no livro de Herbert A. Simon “As Ciências do Artificial” e em “Experiências em Pensamento Visual” de Robert McKim.

Com o surgimento do design centrado no ser humano nos anos 80 e a formação da consultoria de design IDEO nos anos 90, o design thinking se tornou cada vez mais popular. No início do século 21, o design thinking estava entrando no mundo dos negócios.

O design thinking nos ajuda a resolver problemas “perversos”

O que é design thinking? Conheça essa metodologia e saiba como aplicá-la! - Foto: BWB
Conheça essa metodologia e saiba como aplicá-la! – Foto: BWB

A singularidade do design thinking está nos tipos de problemas que abordamos. Dessa forma, quando se trata dos problemas a serem resolvidos com o design thinking, não estamos falando apenas de problemas comuns e que têm soluções testadas e comprovadas. Estamos falando de problemas  bem complexos e “perversos”: o tipo que se recusa a ser resolvido usando métodos e abordagens padrão.

Não apenas esses problemas são difíceis de definir, mas qualquer tentativa de resolvê-los provavelmente dará lugar a ainda mais problemas. Mas vale lembrar que problemas terríveis estão por toda parte, variando de questões globais, como mudança climática e pobreza, a desafios que afetam quase todos os negócios, como gestão de mudanças, alcançar crescimento sustentável ou manter a sua vantagem competitiva.

Portanto, o design thinking é uma abordagem acionável que pode ser útil para resolver os problemas mais graves do mundo. Dessa forma, ele promove a centralização no usuário, a criatividade, a inovação e o pensamento inovador.

Por fim, com isso em mente, vamos explorar os princípios e pilares do design thinking com mais detalhes.

Quais são os seus princípios?

O que é design thinking? Conheça essa metodologia e saiba como aplicá-la! - Foto: Eu, Herói
Conheça essa metodologia e saiba como aplicá-la! – Foto: Eu, Herói

Existem certos princípios que são essenciais para o design thinking.  Portanto, isso se reflete na metodologia de design thinking, que exploraremos em detalhes um pouco mais adiante. Além disso, descrevemos cinco dos princípios mais importantes do design thinking abaixo.

1. Centralização no usuário e empatia

O design thinking tem tudo a ver com encontrar soluções que respondam às necessidades humanas e ao feedback do usuário. Pessoas, e não a tecnologia, são os motores da inovação, portanto, uma parte essencial do processo envolve assumir o lugar do usuário e construir uma empatia genuína com seu público-alvo.

2. Colaboração e definição

O objetivo do design thinking é reunir uma grande variedade de perspectivas e ideias; Portanto, isso é o que leva à inovação! Dessa forma, o design thinking incentiva a colaboração entre equipes heterogêneas e multidisciplinares, que normalmente não trabalham juntas.

3. Idealização

O design thinking é uma estrutura baseada em soluções, portanto, o foco está em apresentar o máximo possível de ideias e soluções potenciais. A idealização é um princípio fundamental do design thinking e uma etapa do processo de design thinking. Dessa forma, essa etapa é uma zona designada sem julgamento, onde os participantes são encorajados a se concentrar na quantidade de ideias, ao invés da qualidade.

4. Experimentação, iteração e prototipação

Não se trata apenas de ter ideias. Dessa forma, trata-se de transformá-los em protótipos, testá-los e fazer alterações com base no feedback do usuário. O design thinking é uma abordagem iterativa, portanto, esteja preparado para repetir certas etapas no processo à medida que descobrir falhas e deficiências nas primeiras versões da solução proposta.

5. Uma tendência para a ação (testar)

O design thinking é uma abordagem bem prática para a solução de problemas, favorecendo a ação em vez da discussão. Portanto, em vez de formular hipóteses sobre o que seus usuários desejam, o design thinking o incentiva a sair e interagir com eles cara a cara. Além disso, em vez de falar sobre soluções potenciais, você os transformará em protótipos tangíveis e os testará em contextos do mundo real.

A metodologia do design thinking em ação

Conheça essa metodologia e saiba como aplicá-la! – Foto: JD

Até agora, cobrimos um pouco de teoria. Sabemos o que é o design thinking e os princípios fundamentais que o moldam. Mas agora vamos considerar como a metodologia se parece em ação, começando com as cinco etapas principais do processo.

A estrutura do design thinking pode ser dividida em três fases distintas: imersão, ideação e implementação. Por outro lado, esta estrutura pode ser subdividida em cinco etapas acionáveis:

  • Simpatizar;
  • Definir;
  • Idealizar;
  • Protótipo;
  • Teste.

Embora essas etapas pareçam ser sequenciais, é importante ressaltar que o design thinking não segue um processo estritamente linear. Dessa forma, em cada estágio do processo, você provavelmente fará novas descobertas que exigirão que você volte e repita uma etapa anterior.

Etapa 1. Empatia
  • O que? Durante a fase de empatia, você se envolverá e observará seu público-alvo;
  • Por quê? O objetivo desta etapa é traçar uma imagem clara de quem são seus usuários finais, quais desafios eles enfrentam e quais necessidades e expectativas devem ser atendidas;
  • Como? Para construir a empatia do usuário, você conduzirá pesquisas, entrevistas e sessões de observação.
Etapa 2. Definir
  • O que? Com base no que você aprendeu na fase de empatia, a próxima etapa é definir uma definição clara do problema;
  • Por quê? Sua declaração de problema define o desafio específico que você enfrentará. Dessa forma, ele guiará todo o processo de design daqui em diante, dando a você uma meta fixa para se concentrar e ajudando a manter o usuário em mente o tempo todo;
  • Como? Ao definir a definição do seu problema, você se concentrará nas necessidades do usuário, e não na empresa. Uma boa declaração de problema é centrada no ser humano, ampla o suficiente para a criatividade, mas específica o suficiente para fornecer orientação e direção.
Etapa 3. Idealizar
  • O que? Com uma definição clara do problema em mente, você agora terá como objetivo apresentar o máximo de ideias e soluções possíveis;
  • Por quê? A fase de idealização leva você a pensar fora da caixa e a explorar novos ângulos. Portanto, ao focar na quantidade de ideias em vez da qualidade, é mais provável que você libere sua mente e tropece na inovação!
  • Como? Durante as sessões de ideação dedicadas, você usará uma variedade de técnicas de ideação diferentes, como bodystorming, pensamento reverso e a pior ideia possível.

Etapa 4. Protótipo

  • O que? Tendo restringido suas ideias a um grupo seleto, agora você as transformará em protótipos – ou versões “reduzidas” do produto ou conceito que deseja testar;
  • Por quê? A etapa de prototipagem oferece algo tangível que pode ser testado em usuários reais. Portanto, isso é crucial para manter uma abordagem centrada no usuário;
  • Como? Dependendo do que você está testando, os protótipos podem assumir várias formas – de modelos básicos de papel a protótipos digitais interativos. Além disso, ao criar seus protótipos, tenha um objetivo claro em mente; saiba exatamente o que você quer que seu protótipo represente e, portanto, teste.

Etapa 5. Teste

  • O que? A quinta etapa do processo de design thinking consiste em testar seus protótipos em usuários reais ou representativos;
  • Por quê? A fase de teste permite que você veja onde seu protótipo funciona bem e onde precisa ocorrer melhoras. Portanto, com base no feedback do usuário, você pode fazer alterações e melhorias antes de gastar tempo e dinheiro desenvolvendo e / ou implementando sua solução;
  • Como? Você executará sessões de teste de usuário em que observa seus usuários-alvo enquanto eles interagem com seu protótipo. Além disso, você também pode obter feedback verbal. Dessa forma, com tudo o que aprendeu na fase de teste, você fará alterações em seu design ou terá uma ideia completamente nova!

Como aplicar a metodologia ao seu próprio trabalho?

Conheça essa metodologia e saiba como aplicá-la! – Foto: ES

Você pode optar por se concentrar em apenas um aspecto do processo do design thinking, como conhecer seus clientes e fazer um esforço consciente para ser mais orientado pela empatia no dia a dia. Se você está tendo dificuldade para reunir avaliações positivas de clientes, por exemplo, pode optar por conduzir entrevistas com usuários para descobrir o que seus clientes estão perdendo.

Além disso, talvez você queira se concentrar na natureza colaborativa do design thinking. Portanto, nesse caso, você pode realizar sessões de ideação com representantes de uma grande variedade de equipes. Se você notar que o marketing e o design lutam constantemente para concordar, por exemplo, algumas sessões de brainstorming no estilo design thinking podem ajudar a colocar todos na mesma página.

Por fim, outro método cada vez mais popular de aplicar o design thinking é por meio de workshops de design thinking. Dessa forma, se você tem um problema específico que deseja resolver, como ter uma ideia de um novo produto ou descobrir como aumentar a retenção de funcionários, um workshop de design thinking o levará por todo o processo em um curto espaço de tempo. Além disso, Workshops de design thinking também são úteis ​​para ensinar aos profissionais que não são da área de design como inovar e encontrar soluções criativas – uma habilidade essencial em qualquer área de negócios.

Perguntas Frequentes

Qual o conceito de design thinking?

é um processo não linear e iterativo que as equipes usam para entender os usuários, desafiar suposições, redefinir problemas e criar soluções inovadoras para prototipar e testar. Envolvendo cinco fases – Empatia, Definir, Idear, Prototipar e Testar – é mais útil para resolver problemas que estão mal definidos ou desconhecidos.

O que é design thinking e como funciona?

Ele é tanto uma ideologia quanto um processo que busca resolver problemas complexos de uma forma centrada no usuário. Dessa forma, ele se concentra em alcançar resultados práticos e soluções:

  • Tecnicamente viáveis: podem se desenvolver em produtos ou processos funcionais;
  • Economicamente viável: a empresa pode se dar ao luxo de implementá-los;
  • Desejável para o usuário: eles atendem a uma necessidade humana real.

A ideologia por trás do design thinking afirma que, para chegar a soluções inovadoras, é necessário adotar a mentalidade de um designer e abordar o problema a partir da perspectiva do usuário. Além disso, ao mesmo tempo, ele tem a ver com a prática; o objetivo é transformar suas ideias em produtos ou processos tangíveis e testáveis ​​o mais rápido possível.

Por fim, esse processo descreve uma série de etapas que dão vida a essa ideologia – começando com a construção de empatia pelo usuário, até chegar a ideias e transformá-las em protótipos.

Como Aplicar o Design Thinking?

Você pode optar por se concentrar em apenas um aspecto do processo do design thinking, como conhecer seus clientes e fazer um esforço consciente para ser mais orientado pela empatia no dia a dia. Se você está tendo dificuldade para reunir avaliações positivas de clientes, por exemplo, pode optar por conduzir entrevistas com usuários para descobrir o que seus clientes estão perdendo.

Além disso, talvez você queira se concentrar na natureza colaborativa do processo. Portanto, nesse caso, você pode realizar sessões de ideação com representantes de uma grande variedade de equipes. Se você notar que o marketing e o design lutam constantemente para concordar, por exemplo, algumas sessões de brainstorming podem ajudar a colocar todos na mesma página.

Por fim, outro método cada vez mais popular de aplicar é por meio de workshops de design thinking.

Gostou? O que achou? Deixe seu comentário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *