Organização Financeira: veja o que é e confira 8 passos para organizar suas finanças!

Por | Administrativo

Quando você pensa sobre os detalhes financeiros da sua vida, o que vem à mente? Você sabe quanto você tem em economia, quanto você traz para casa a cada período de pagamento e quanto você deve? Ou você não tem certeza de quanto está entrando, de quanto você economizou ou mesmo onde essas contas de poupança estão guardadas? Se sua resposta for a última, organizar suas finanças pode parecer uma grande tarefa, e pode ser por isso que tantas pessoas evitam fazê-lo. 

Veja também como emitir uma nota fiscal!

Mas os benefícios da organização financeira superam em muito o aborrecimento. Por um lado, quando você coloca suas finanças em ordem, é capaz de definir metas e trabalhar para alcançá-las. Além disso, você também pode descobrir onde pode fazer mudanças e como essas mudanças afetarão sua vida, financeiramente e de outra forma.

O truque é dividir o empreendimento em estágios gerenciáveis. Portanto, concentre-se em uma área de suas finanças de cada vez e, eventualmente, será capaz de colocar tudo em ordem. Assim, veja abaixo 8 passos para conseguir organizar sua vida financeiramente. No entanto, antes disso precisamos saber exatamente o que é organização financeira e qual a sua importância. Confira:

O que é organização financeira?

Organização Financeira: veja o que é e confira 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: GB

De forma resumida, podemos dizer que a “organização” é nada mais do que um conjunto de ações que ajudam as pessoas a projetar uma situação futura e estabelecer estratégias para cumprir os seus objetivos e compromissos. Quando falamos de organização financeira, nos referimos ao processo de estimar o volume de receitas, despesas e categorias de gastos. Portanto, é um processo para compreender como você utiliza o seu próprio dinheiro.

Utilizando ela é possível começar a organizar todas as partes que afetam seu orçamento, identificando a natureza dos gastos, os possíveis excessos de consumo e os hábitos que podem comprometer o seu saldo no fim do mês.

A partir dessa conscientização, você consegue identificar falhas e pode estabelecer estratégias para corrigi-las. Desse modo, você direciona suas finanças para o rumo que deseja, com metas e objetivos a serem alcançados.

Qual a importância da organização financeira?

Organização Financeira: veja o que é e confira 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: BM

Como você já deve ter percebido, a organização financeira permite acompanhar, com clareza, o movimento de suas receitas e despesas. Portanto, fica mais fácil saber para onde o dinheiro está indo e realizar um importante exercício de autocrítica. Confira abaixo os principais benefícios da organização financeira:

Alcançando resultados melhores

Organização Financeira: veja o que é e confira 8 passos para organizar suas finanças! - Foto: EE
Organização Financeira: veja o que é e confira 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: EE

Não há dúvidas de que a organização financeira te ajuda a ter resultados bem melhores. Com ela você vai saber exatamente onde os seus recursos estão indo. Dessa forma, você poderá identificar onde é possível, ou preciso, fazer cortes.

Pensando no futuro

Organização Financeira: veja o que é e confira 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: BDE

Economistas e não economistas afirma (com razão) que é importante formar uma reserva financeira para o seu futuro. Dessa forma, a organização financeira é importante para nos educar financeiramente, melhorando nossa relação com o dinheiro. Assim, quando sabemos exatamente onde estamos gastando nosso recursos, passamos a encontrar novas formas de economizar e poupar dinheiro para o nosso futuro.

Evitando problemas de saúde

Organização Financeira: veja o que é e confira 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: OH

Segundo uma pesquisa realizada na África do Sul, a falta de controle financeiro é um fator agravante para problemas de saúde. Os pesquisadores concluíram que se preocupar com o dinheiro aumenta em até 13 vezes a chance de você ter um ataque cardíaco. E o mais complicado é que o problema ocorre não pela falta de dinheiro, mas pelo medo de não conseguir pagar todas as contas do mês. Por isso, é indicado se organizar financeiramente para evitar o estresse manter o financeiro “saudável”.

Passos para organizar suas finanças

1. Crie um orçamento

Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! - Foto: EN
Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: EN

Ao criar um orçamento, você basicamente faz um plano de gastos e economia a cada mês. Dessa forma, você determina quanto dinheiro você ganha mensalmente e para onde esse dinheiro vai. Além disso, se sobrar dinheiro depois de pagar por suas necessidades, você pode usar seu orçamento para decidir como gastar o dinheiro extra, se economizando, depositando em sua dívida ou gastando em um hobby ou outro não essencial.

Portanto, alguns dos benefícios do orçamento incluem:

Definir metas e priorizar suas finanças

Com um orçamento, você pode ver facilmente com quanto pode contribuir para uma meta específica a cada mês e pode mapear exatamente quanto tempo levará para alcançá-la. Além disso, você também pode usar seu orçamento para concentrar seus gastos nas coisas que mais importam para você.

Ter uma compreensão precisa de sua situação financeira

Antes de criar seu orçamento, não há uma maneira real de saber quanto você gasta a cada mês e como essas despesas se comparam à sua receita, o que pode dificultar o planejamento para o futuro.

Ter a oportunidade de mudar hábitos ruins

Criar um orçamento pode ser uma revelação para alguns, pois detalha claramente para onde seu dinheiro está indo. Por exemplo, você pode não perceber que está gastando R$ 50 por semana em café até revisar seus hábitos de consumo. Dessa forma, quando você tem um orçamento, pode decidir continuar a gastar tanto em café ou cortar e aplicar esses R$ 50 em outra coisa.

A criação de um orçamento requer um pouco de preparação e planejamento, mas geralmente não é muito difícil. Além disso, existem algumas etapas que você pode seguir para garantir que seu processo de orçamento corra bem.

Etapa 1. Calcule sua receita e despesas mensais

Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! - Foto: EN
Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: DA

Para criar um orçamento, você precisa saber quanto dinheiro você tem entrando e saindo.

Primeiramente, você quer saber quanto você leva para casa durante um mês normal. Dessa forma, se você tem um emprego, pode consultar o valor líquido do pagamento em seu contracheque para ver quanto você realmente traz para casa em um mês. Além disso, você precisará somar os totais mensais de cada um de seus contracheques se receber mais de uma vez por mês.

Em seguida, some o valor total de suas despesas mensais. Assim, você pode revisar seus extratos bancários e de cartão de crédito para ver como gasta seu dinheiro a cada mês. Além disso, seus extratos também podem dar uma ideia de quaisquer despesas irregulares que você tenha, como o pagamento trimestral do seguro do carro ou o pagamento de mensalidades semestrais.

Agora que você tem um valor de receita e um valor para suas despesas mensais, é hora de comparar os dois. Portanto, o ideal é que sua renda seja igual ou superior às suas despesas. Mas se suas despesas forem maiores do que sua receita, isso significa que você está gastando mais do que ganha e pode acabar endividado.

Etapa 2. Determine suas despesas fixas e variáveis

Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! - Foto: Exame
Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: Exame

A próxima etapa do orçamento é criar categorias para suas despesas e atribuir um valor a cada uma. Assim, algumas pessoas acham que ajuda separar suas despesas em categorias fixas e variáveis.

Despesas fixas geralmente incluem:

  • Pagamentos de hipotecas e aluguel;
  • Pagamentos de empréstimos;
  • Taxas de serviço de assinatura;
  • Pagamentos de seguros;
  • Algumas contas de serviços públicos.

Despesas variáveis ​​normalmente incluem:

  • Mantimentos;
  • Confecções;
  • Custos de transporte;
  • Refeições fora;
  • Entretenimento;
  • Algumas contas de serviços públicos.

As despesas fixas costumam ser as mais fáceis de orçar – basta registrar quanto você gasta com elas mensalmente.  Mas você pode ter que usar um pouco de adivinhação ao descobrir quanto orçar para despesas variáveis. No entanto, olhar para trás em suas declarações pode dar uma ideia do valor médio que você gastou em roupas, mantimentos e outras despesas variáveis ​​nos últimos meses. Portanto, você pode usar essa média como ponto de partida e ajustar conforme necessário.

Depois de saber quanto são as suas despesas variáveis ​​e fixas, ou provavelmente serão a cada mês, você pode fazer ajustes. Por exemplo, se você tem uma dívida que gostaria de saldar, procure despesas para cortar e direcione esse dinheiro para os pagamentos do empréstimo. O mesmo se aplica se você deseja economizar mais, seja para um fundo de emergência ou para uma aposentadoria.

Além disso, lembre-se de que um orçamento não está escrito em pedra. Dessa forma, você deve ajustar seu orçamento à medida que suas metas e a situação mudam. Por exemplo, se você receber um aumento salarial ou quitar dívidas, poderá incluir essas alterações em seu orçamento e encontrar outro uso para seus fundos excedentes.

Depois de definir um orçamento, você pode voltar sua atenção para outras áreas.

2. “Pague-se” primeiro

Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! - Foto: Soft Line
Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: Soft Line

Mesmo com um orçamento definido, pode ser um desafio cumpri-lo e trabalhar em suas metas de economia.  Portanto, vamos encarar os fatos – guardar dinheiro para um dia chuvoso não é tão divertido quanto sair em uma no fim de semana, curtir uma noite com os amigos ou comprar uma roupa nova e estilosa. Mas antes que você perceba, o dinheiro que você pretendia reservar para seu fundo de emergência, entrada ou outra meta de poupança acabou.

Dessa forma, uma maneira de se “enganar” para reservar dinheiro é pagar a si mesmo primeiro. Ao pagar a si mesmo primeiro, você escolhe um valor que pode separar confortavelmente de cada contracheque e estabelece um depósito direto desse valor. Em vez de entrar em sua conta corrente com o resto de seu pagamento, o valor que você deseja economizar é desviado com segurança para uma conta de poupança. Além disso, depois de configurar o depósito direto, você não precisa pensar nisso novamente. Por fim, com o tempo, você pode acumular seu fundo de emergência ou trabalhar em direção a suas outras metas financeiras com pouco ou nenhum atrito.

3. Acompanhe seus gastos

Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! - Foto: Exame
Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: Exame

Você tem um orçamento em vigor e está reservando dinheiro para economizar a cada mês. Dessa forma, a próxima etapa é controlar seus gastos. Isso lhe dará uma boa ideia de para onde está indo o restante do seu dinheiro e você pode ter certeza de que está no caminho certo para alcançar outras metas financeiras.

Portanto, existem algumas maneiras de controlar seus gastos a cada mês:

Baixe um aplicativo

Existem inúmeros apps de orçamento e gerenciamento financeiro que se conectam aos seus cartões de crédito e contas bancárias e registram e categorizam automaticamente cada transação para você. Dessa forma, você pode entrar no app para ver exatamente o que gastou ao longo do dia, semana ou mês.

Use ferramentas de banco on-line ou móvel 

Já se foi o tempo em que você tinha que esperar para receber uma cópia impressa de seu extrato bancário pelo correio. Agora, você pode usar ferramentas bancárias digitais fazendo login em sua conta no celular ou dispositivo para revisar seus gastos. Além disso, essas ferramentas também costumam permitir que você acompanhe as economias e agende o pagamento de contas.

Use caneta e papel para controlar seus gastos

A tecnologia ajuda a automatizar o processo de rastreamento de seus gastos, mas algumas pessoas preferem anotar suas compras e despesas manualmente. Portanto, isso pode ajudá-lo a se sentir mais conectado com seus gastos e mais ciente de para onde seu dinheiro está indo a cada mês. Além disso, se você faz muitas compras com dinheiro, usar papel e caneta pode ser a maneira mais conveniente de controlar os gastos.

Rastrear gastos não ajuda apenas a evitar estourar seu orçamento. Também pode dar uma ideia mais realista de como você usa seu dinheiro a cada mês. Portanto, depois de controlar seus gastos por um ou dois meses, você pode voltar ao seu orçamento e fazer ajustes para que reflita com mais precisão como você está vivendo.

4. Compre de maneira mais inteligente

Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! - Foto: BHS
Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: BHS

Colocar suas finanças em ordem não significa apenas determinar o que está acontecendo, onde e quanto você deseja economizar. Além disso, também significa encontrar maneiras de aproveitar ao máximo seu dinheiro ao gastar. Portanto, comprar de maneira mais inteligente pode significar qualquer um dos seguintes tópicos:

Comparando preços 

Graças à Internet, é muito fácil comparar preços. Dessa forma, basta digitar o nome ou a descrição do item que deseja comprar em um mecanismo de pesquisa e provavelmente obterá vários resultados de vários varejistas.

Usando cupons

Assim como comparar preços, usar cupons é mais fácil graças à Internet. Dessa forma, você pode baixar cupons digitais e imprimi-los – não precisa mais esperar pelos folhetos semanais. Além disso, algumas lojas também oferecem cupons digitais que você pode carregar em seu cartão de fidelidade. Portanto, quando o caixa examina seu cartão na finalização da compra, os cupons são deduzidos do seu total automaticamente.

Esperando um desconto

Eventualmente, quase tudo está à venda. Se possível, conheça o ciclo de vendas em seus supermercados preferidos. Dessa forma, você saberá quando as coisas que você compra com mais frequência têm maior probabilidade de receber descontos.

Explorando opções menos caras

Às vezes, pequenas mudanças podem levar a resultados significativos. Portanto, escolher a opção menos cara, como a massa de marca própria em vez da “de marca”, pode reduzir suas contas. Outras pequenas maneiras de escolher a opção menos cara incluem preparar café em casa em vez de comprá-lo em uma padaria, beber água da torneira em vez de engarrafada e mudar de serviço a cabo para streaming.

Compras sozinho e com o estômago cheio

Embora um ou dois amigos possam dar bons conselhos, eles também podem ser uma má influência, encorajando você a gastar mais do que planejou. Dessa forma, faça das compras uma atividade individual e você terá menos probabilidade de gastar mais do que pretendia. Além disso, quer esteja comprando mantimentos ou roupas, é mais provável que você tome decisões precipitadas se estiver fazendo compras com fome. Portanto, faça uma refeição ou um lanche antes de fazer compras para não ficar tentado a comprar o que não está em sua lista.

5. Construir um bom crédito

Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: BC

Sua pontuação de crédito (score) é um número de três dígitos, geralmente variando de 300 a 850, que pode determinar se você será aprovado ou não para um empréstimo, se obterá ou não a melhor taxa desse empréstimo e o limite de gastos do seu crédito cartão. Dessa forma, o crédito não é algo com que você nasce. É algo que você precisa construir.

Fatores que influenciam na pontuação (score)

Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! - Foto: BC
Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: PC

No entanto, cinco fatores normalmente influenciam sua pontuação. Elas incluem:

  • Histórico de pagamentos: O histórico de pagamentos é responsável pela maior parte de sua pontuação. Dessa forma, se você pagar suas contas em dia, o tempo todo, poderá aumentar sua pontuação;
  • Valor devido: O quanto você deve em comparação com o quanto pode pedir emprestado influencia sua pontuação de crédito. Dessa forma, quanto menos você deve, melhor será sua pontuação;
  • Comprimento do histórico de crédito: O tempo de crédito também afeta sua pontuação, bem como a idade média dessas contas;
  • Mix de crédito: A combinação de parcelamento e contas de crédito rotativo afetam sua pontuação;
  • Novo crédito: Se alguém fez um grande esforço em seu crédito no ano passado, isso afetará sua pontuação.

Construindo um bom crédito

Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: MD

Construir um bom crédito pode parecer um desafio, pois geralmente é um problema. Em alguns casos, pode parecer que você já precisa ter um crédito estabelecido para obtê-lo. No entanto, existem maneiras de construir seu crédito do zero. Dependendo das suas circunstâncias, suas opções de crédito para construção incluem:

Ter alguém adicionando você como um usuário autorizado do cartão de crédito

Se você está apenas começando, uma maneira de construir seu histórico e pontuação é fazer com que alguém, como um pai ou cônjuge, adicione você como um usuário autorizado em seu cartão de crédito. Mas se você decidir seguir o caminho do usuário autorizado, lembre-se de que há riscos para ambas as partes. A pessoa que é o titular principal do cartão pode acabar sendo prejudicada pelas dívidas que você acumula. Além disso, se o titular do cartão principal não pagar o cartão em dia ou acumular muitas dívidas, existe o risco de que isso tenha um impacto negativo em seu próprio relatório de crédito e pontuação.

Abrindo um cartão de crédito garantido

Alguns tipos de cartões de crédito são projetados para pessoas com histórico de crédito limitado ou com histórico de crédito ruim. Além disso, um cartão de crédito garantido exige um depósito seu, que serve como garantia do cartão.

Contrair um empréstimo estudantil 

Se você está indo ou voltando para a faculdade, os empréstimos estudantis podem parecer um mal necessário. No entanto, há um lado bom – fazer um empréstimo estudantil pode ser uma forma de estabelecer um histórico de crédito. Dessa forma, a maioria dos tipos de empréstimos estudantis federais não exige uma verificação de crédito e pode ser uma maneira viável de começar a construir crédito. Além disso, lembre-se de que isso não ajudará a melhorar muito sua pontuação até que você comece o pagamento e demonstre o hábito de fazer pagamentos pontuais.

Manter seus gastos sob controle

A maneira como você usa seu cartão de crédito também pode ajudá-lo a aumentar o crédito. Portanto, quanto menos você gastar no cartão em comparação com seu limite de gastos, melhor. Tente manter seus gastos abaixo de 30% do limite do cartão. Cobrar apenas o quanto você pode pagar integralmente a cada mês para evitar o pagamento de juros e para manter seus gastos sob controle.

Pagando suas contas em dia

Outro fator importante que o ajudará a acumular crédito é pagar suas contas em dia. Dessa forma, um pagamento atrasado pode permanecer em seu relatório de crédito por até sete anos.

Manter contas abertas

Se você não precisar mais de um cartão de crédito, pode parecer uma boa ideia encerrar a conta. Mas a extensão de seu histórico de crédito também influencia sua pontuação de crédito, então pode ser uma ideia melhor manter abertas contas antigas, a menos que você esteja pagando uma taxa anual elevada.

6. Mantenha sua dívida sob controle

Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: BR

A dívida pode ser deprimente, mas não precisa controlar sua vida. Portanto, se você tem dívidas, organizar suas finanças pode ajudá-lo a determinar a melhor maneira de enfrentá-las e saldá-las. As táticas a serem consideradas ao tentar minimizar sua dívida incluem:

Consolidação de empréstimos

Se você tiver mais de um empréstimo, como vários empréstimos estudantis ou um empréstimo estudantil mais um empréstimo para automóveis, pode valer a pena consolidá-los em um único empréstimo, especialmente se você conseguir uma taxa de juros melhor ou um pagamento mensal mais baixo. Além disso, outro benefício de consolidar seus empréstimos é que você acaba com um único pagamento mensal, em vez de dois ou mais.

Troca de dívida com juros altos por dívida com juros baixos

Se você tiver dívidas de cartão de crédito, uma transferência de saldo pode ajudá-lo a obter uma taxa de juros mais baixa. Dessa forma, os cartões de transferência de saldo geralmente permitem que você mova o saldo de um cartão com uma alta taxa de juros para um cartão com uma baixa taxa de juros introdutória. Você acabará pagando menos ao longo do tempo, o que pode ajudá-lo a se livrar das dívidas mais cedo, mas você precisa ficar atento às altas taxas de transferência de saldo que podem anular essa economia.

Elaboração de um plano de pagamento

Quer você decida consolidar seus empréstimos ou não, ter um plano para pagá-los pode ajudá-lo a manter sua dívida sob controle. Dessa forma, defina uma data limite para quando você gostaria de ficar livre de dívidas e, em seguida, calcule quanto você precisará pagar a cada mês em cada empréstimo para ajudá-lo a atingir essa meta.

7. Economize para aposentadoria

Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: LC

Depois de planejar o pagamento da dívida, criar um orçamento e determinar suas despesas mensais típicas, é hora de começar a economizar para a aposentadoria. Quanto você deve economizar? Tudo depende de sua situação atual e de seus objetivos de aposentadoria, mas algo em torno de 10 a 15% de sua renda mensal costuma ser um bom ponto de partida. Se você não tem de 10 a 15% de sua renda disponível, comece separando o que puder.

Ajuda usar o método “pague-se primeiro” mencionado acima para começar a economizar para a aposentadoria.  Dessa forma, escolha um valor para economizar a cada mês ou período de pagamento e, em seguida, tenha esse valor automaticamente retirado de seu cheque de pagamento se seu empregador oferecer um plano ou tenha o dinheiro transferido para sua conta se você estiver economizando em um IRA.

8. Organizar arquivos

Organização Financeira: veja 8 passos para organizar suas finanças! – Foto: LC

Outra parte importante para colocar suas finanças em ordem é organizar sua papelada. Dessa forma, é importante que sua papelada e documentos financeiros sejam mantidos em um local seguro e de fácil acesso. Você pode acessá-lo quando precisar e está a salvo de olhos curiosos.

Você pode organizar seus arquivos usando cópias físicas ou versões digitais. Se você guarda cópias físicas, é uma boa ideia armazená-las em um arquivo à prova de fogo com trava ou em um local seguro, como um cofre.

Se você está indo para a rota digital ao organizar seus documentos, certifique-se de fazer um backup de seus arquivos, usando uma unidade USB ou HD externo. Mantenha o backup em um local seguro em casa.

Além disso, alguns dos arquivos que você deseja classificar e organizar incluem:

  • Declarações fiscais e outros documentos fiscais;
  • Documentos / testamentos de planejamento imobiliário;
  • Informação de seguro;
  • Registros médicos;
  • Papelada de hipoteca ou escritura de sua casa;
  • Extratos bancários e de cartão de crédito;
  • Papelada de empréstimo ou documentação que você pagou sua dívida;
  • Prova de propriedade do seu carro e outros bens de alto valor.

Gostou? O que achou? Deixe seu comentário!